Administração na prática

Turnaround: o que é e como fazer na sua instituição de ensino?

Como está a situação da sua escola? Há perda de funcionários importantes, saída de alunos ou problemas financeiros? E o que a gestão escolar tem feito para mudar esse cenário? Ainda que as dificuldades tenham sido causados por uma situação externa, como crise econômica, a instituição de ensino tem um papel crucial para mudar esse quadro e realizar um turnaround no negócio.

Nunca ouvi falar em turnaround? Então, continue a leitura, pois vamos te explicar tudo sobre e, inclusive, como ele pode te ajudar a superar os obstáculos e impulsionar o crescimento da sua instituição de ensino.

O que é turnaround?

Com origem na língua inglesa, o termo “turnaround” significa “dar a voltar” ou ainda “virar o jogo”. Refere-se a uma metodologia da Administração que consiste em realizar mudanças cruciais para recuperar um negócio que esteja em dificuldade. A intenção é aproveitar o cenário negativo para fazer modificações e, assim, potencializar o desenvolvimento de uma empresa.

Essa tática pode ser implementada em diversos setores, inclusive em escolas. Nesse caso, a instituição deve rever os valores, as missões, o planejamento estratégico e o ensino, de maneira que possam ser implementados processos mais eficazes.

Como identificar se minha escola precisa de um turnaround?

Para além das dificuldades financeiras, as escolas podem apresentar outros sinais quando há necessidade de fazer uma reestruturação, tais como:

  • alta rotatividade ou perda de funcionários;
  • redução do número de alunos;
  • perda de competividade no mercado;
  • pessimismo das equipes;
  • baixa qualidade de ensino;
  • obsolescência dos métodos ou materiais de ensino;
  • falta de adesão às transformações tecnológicas em curso;
  • diminuição da credibilidade no mercado.

Como funciona o turnaround?

No turnaround é feito uma avaliação detalhada dos processos internos e da estrutura de uma instituição, assim como uma análise das políticas, situação no mercado, concepções de inovação, problemas existentes, dentre outros.

A partir da percepção do que tem funcionado ou não, são realizadas reformulações para otimizar os resultados. No entanto, não se trata de mudanças pontuais, mas transformações profundas na estrutura da escola.

Como implantá-lo em uma escola?

O reposicionamento começa a partir do diagnóstico da instituição de ensino. Primeiro é preciso avaliar o negócio a partir de ferramentas de verificação da situação da escola, como a análise SWOT — que determina fatores como pontos fortes, fraquezas, oportunidades e ameaças ao crescimento da empresa.

Depois, é preciso envolver os colaboradores e gestores escolares no processo de reestruturação da escola. Com o feedback dos envolvidos, há a implementação das mudanças e o monitoramento dos resultados.

Há diversas medidas que podem ser implementadas para facilitar a recuperação da escola e evitar problemas maiores, como perda de espaço no mercado ou desmobilização das equipes e até mesmo falência. Veja algumas possibilidades:

  • renegociação de dívidas;
  • contenção de perdas financeiras e inadimplência;
  • redução de custos operacionais;
  • modificações na gestão financeira;
  • mudanças nas lideranças/diretoria;
  • reestruturação do quadro de funcionários;
  • investimentos em tecnologias e na qualidade do ensino;
  • capacitação de professores e funcionários;
  • criação de planos de carreira;
  • elaboração e implementação de planejamento estratégico.

Para fazer um turnaround na sua instituição de ensino é importante contar com a experiência de quem entende do assunto. Nesse contexto, vale a pena recorrer a uma consultoria empresarial que tenha o conhecimento necessário para identificar problemas e pensar em formas de otimizar processos na escola.

Percebeu a necessidade de realizar um turnaround na sua instituição de ensino? Então, entre em contato com a Szabo Assessoria! Somos uma consultoria empresarial especializada em gerência de projetos, turnaround e gestão educacional!