Administração na prática

Gestão escolar democrática e participativa: entenda as diferenças

Existem conceitos e práticas educativas das mais diversas, porém, a escola é a instituição responsável pela transmissão do conhecimento e do saber sistematizado. Por isso a escolha entre gestão escolar democrática e participativa é um dos temas mais debatidos entre os vários sistemas educacionais.

Essas definições interferem tanto nas questões gerenciais, como também no crescimento da escola, nas metodologias de ensino e consequentemente na manutenção dos alunos, gerando um impacto significativo em suas vidas. Quer entender mais sobre esse assunto? Então, continue a leitura!

O que é gestão democrática?

A gestão democrática é aquela que prioriza a participação efetiva de toda a comunidade escolar — responsáveisfamiliares, alunos e instâncias colegiadas (APMF, Conselho Escolar, Conselho de Classe e Grêmio Estudantil), e todos aqueles envolvidos na comunidade escolar, podem dialogar e opinar, de maneira ativa, nas ações e decisões. 

Os principais pilares desse tipo de gestão são:

  • descentralização administrativa;
  • participação de todos os envolvidos no cotidiano escolar;
  • transparência quanto a decisões e ações tomadas pela instituição.

Quais as vantagens?

Seu papel é de extrema importância pois motiva e melhora o desempenho dos alunos por meio de uma vivência democrática que possibilita a formação de cidadãos conscientes e atuantes — demonstrando na prática a importância da democracia.

Quais as desvantagens?

O grande desafio vivenciado pela gestão escolar democrática é que cada escola tem um universo de diferenças. Ela precisa da atuação da comunidade engajada na construção do seu projeto pedagógico. Dessa forma, o desenvolvimento de um trabalho coletivo requer que todas as ações sejam compartilhadas.

Quando é recomendada?

A gestão escolar democrática é prevista pela Constituição Federal de 1988, que inaugurou um novo tempo em relação às políticas sociais no Brasil. Ela trouxe à tona um contexto de democratização e participação, estimulando a ampliação do envolvimento dos cidadãos nos processos de decisão.Sendo assim, a implementação deste modelo de gestão é recomendada quando se deseja que a tomada de decisões na instituição seja descentralizada, incluindo-se toda a comunidade escolar no processo.

O que é gestão participativa?

Essa gestão busca meios para ampliar a participação da comunidade nos processos de tomada de decisão de diferentes aspectos que se ligam ao cenário escolar como um todo. Essa parceria tem o intuito de aproximar os profissionais da escola de responsáveis e alunos em prol da qualidade das práticas que são realizadas no âmbito educacional.

Esse modelo traz inúmeros benefícios para os docentes, gestores e alunos. Por meio dessa parceria é possível que todos sejam ouvidos e, assim, contribuam para a realização dos mesmos objetivos, contribuindo para a construção de uma sociedade mais comprometida com a cidadania.

Quais as vantagens?

Por haver participação de todos da comunidade escolar, tanto professores quanto alunos e responsáveis são influenciados diretamente. Os alunos são formados enquanto cidadãos, e os professores  sentem-se estimulados a buscarem maior qualificação e a implementarem métodos de ensino inovadores. Já os pais são inspirados a um maior engajamento e interação com a escola. Assim, essa participação contribui para o crescimento coletivo.

Quais as desvantagens?

Todos devem estar envolvidos nesse processo para que realmente funcione e os objetivos sejam atendidos. Por isso, essa caminhada exige paciência e esse modelo de gestão requer diálogo e desconstrução de paradigmas, pois barreiras devem ser derrubadas para dar voz a todos.

Quando aplicá-la?

A gestão participativa proporciona argumentos diferentes sobre um mesmo assunto, dando ao gestor e à instituição a possibilidade de escolha, além de ampliar a visão e apresentar novas possibilidades. O resultado é uma escola atuante, participativa e com um nível de excelência, tanto pedagógica e administrativa, que tenha êxito em todas as áreas.

Portanto, a gestão escolar democrática e participativa são modelos pedagógicos que resultam de ações práticas no processo de aprendizagem. As duas atuam com a participação de todos da comunidade.

Gostou deste texto? Quer ficar por dentro de assuntos relevantes como esse? Então siga nossa página no Facebook!